Anarquismo – parte 1, Futebol

A famosa Gripe do Pasquim
29 de junho de 2015
O caso do estranho visitante
2 de julho de 2015

Anarquismo – parte 1, Futebol

Anarquismo 

                             (futebol)

Você prefere discutir política analisando as idéias Anarquistas em confronto ao Capitalismo e a todo poder constituído, ou analisar a rivalidade entre Corinthians e Palmeiras? Cuidado com a reposta. Estamos falando da mesma coisa.

Definição                                                                                                      

Anarquismo e um movimento político/filosófico que prega a total liberdade, a destruição de todo processo de poder ou autoridade. Persegue a criação de uma sociedade onde o Respeito é absoluto. O senso de Cooperação e os princípios Colaboracionistas comandam todas as atividades.

Toque sutil                                                                                A forma mais inteligente de se transmitir informações é transformar o estudo num processo prazeroso. Esse conceito deveria afetar os dois lados envolvidos. Alguém deve estar determinado tanto em aprender como em insistir em buscar um meio de estudo qualificado. Seja exigente. Porém é preciso existir disponibilidade. Autores mexam-se façam algo criativo. Sempre e cada vez mais. Assistir ou ler Dario Fo é receber informações sobre Anarquismo, posturas políticas, através de muita criatividade é humor de ótima qualidade. Eu até diria que Anarquista, Inteligência, Criatividade e Humor compõem uma forma de redundância.

 

Minha história ou vocação Anarquista                                                                              Era muito jovem quando ouvi falar em Anarquismo. Mesmo sem ter maturidade, despreparado para esse tipo de convicção.A ideia de combater a autoridade, a possibilidade da eliminação de governo, do desmonte das instituições, excitava cada uma das minhas células. A busca não era pelo caos, a situação seria criada pela evolução dos humanos, do desenvolvimento de uma cultura de respeito, colaboracionismo.

Comunismo, Socialismo e Anarquismo, todos se opõem ao Capitalismo e isso em si já é maravilhoso. Mas o Anarquismo era mais romântico. Não pregava remoldar o estado e sim reconhecer por mérito a sua obsolescência.

Decretar repito, por mérito, a inutilidade do estado, de governo, seria o ambiente mais propício para vivenciarmos a ideologia do Iluminismo. Liberdade, Igualdade, Fraternidade.

Futebol                                                                                                                              É do conhecimento de todos a rivalidade entre Corinthians e Palmeiras, que aqui será chamado de Palestra para melhor entendimento. Fundado em 1910, 4 anos antes do que o Palmeiras, o Corinthians fica com a primazia de ser estudado primeiro. Esse auto proclamado “Bando de Loucos”, a torcida do Corinthians começará uma super vaia frente minhas atitudes, mas para falar em Corinthians é preciso falar da Itália. (já estou ouvindo as vaias…..)

Século XIX                                                                                                                                                        Havia uma grave crise de desemprego e fome na Itália. Uma forma de minimizar o problema era exportar gente. Exportando mão de obra a Itália servia aos interesses capitalistas que poderiam explorar essa massa em países pouco desenvolvidos como o Brasil. Os imigrantes europeus no Brasil substituíam os negros escravos. A maior diferença era que essas massas mesmo estando subjugadas tinham outro nível de desenvolvimento intelectual, e princípios políticos.

Podemos identificar dois grupos de imigrantes residentes no Brasil quanto a sua postura política,  primeiramente considerando que todos lutavam por sua sobrevivência.

Os simpatizantes do nascente Fascismo que numa postura nacionalista que se desenvolviam com facilidade numa Itália empobrecida e dividida. Dá até pra dizer que os “Faci” eram saudosos da Era Romana e se entendiam superiores.

E os simpatizantes do Anarquismo que já se rebelavam contra a exploração da mão de obra, que buscavam melhorias nas relações trabalhistas. Os princípios de Igualdade, de Respeito de Espírito Comum.

Com uma ou outra orientação nos bairros predominantemente operários, Brás, Bom Retiro, Moóca, viam-se movimentos de aglutinação.

Corinthians

O Sport Club Corinthians Paulista nasce influenciado pelas idéias anarco-humanistas.

Michelle (Miguel) Bataglia, o primeiro presidente, conheceu o Anarquismo quando trabalhou na empresa de energia Light (multinacional Inglesa concessionária da energia elétrica em São Paulo), nos primeiros anos do Século XX.

Bataglia definia a criação do clube dessa maneira: “O Corinthians vai ser o time do povo, e é o povo que vai fazer o time”. Trata-se de “ação direta”, um princípio libertário segundo o qual o cidadão deve atuar de forma prática para aprimorar a sociedade. Essa é a busca de protagonismo defendida pelos ítalo-anarquistas.

Nesse segmento da comunidade ítalo-brasileira via-se já presente o apreço pela diversidade, pela miscigenação e pela universalização de direitos. Empresa, governo, sindicatos, clubes, em qualquer atividade os preceitos estavam expressos.

O projeto de fundação do time já exibe essa característica. Não importa a raça e o credo do associado. O objetivo é criar uma experiência transdisciplinar (os fundadores já falavam em bibliotecas) de inclusão e compartilhamento de experiências.

O nome Corinthians é cola explícita do clube inglês de mesmo nome que havia excursionado vitoriosamente pelo Brasil.

Palestra Itália

Em 1914 nasce o Palestra Itália. Também obra de operários nasce um clube com participantes que pensam em direção oposta. Essa comunidade está mesclada com a classe dominante. Pensa de forma restritiva, reconhece e homenageia uma pátria.

Se no Corinthians as coisas eram difíceis e seus primeiros uniformes não tinham nem mesmo o distintivo bordado, no Palestra com apoio dos industriais, principalmente da família Matarazzo os recursos sempre eram suficientes. A camisa do time sempre ostentou a Cruz de Savoia representando a monarquia Italiana.

Os Arqui Rivais

 

As diferenças estão, expostas. O Corinthians é um clube de trabalhadores diversos, não somente operários, com forte influência do anarquismo e do pensamento de esquerda. É, por natureza, simpático à miscigenação cultural.

O Palestra Itália congrega operários e também figuras proeminentes  especialmente no segmento industrial. Expõe tendências conservadoras, especialmente entre os dirigentes. A proposta é preservar identidades e estabelecer uma genuína representação da comunidade italiana.

Muito a grosso modo é como se o Corinthians fosse uma forma de integração e o Palestra uma maneira de manter um gueto.

 

O primeiro uniforme corintiano deveria ser camisa bege e calção preto. O tecido barato das camisas desbotava passando a cor oficial a ser branca. Os calções não puderam ser pretos. O tecido preto era muito caro. A opção foi fazê-los em tecido reaproveitado de sacos de farinha que eram na cor branca.

No seu primeiro jogo por um campeonato paulista, 1916, o Palestra usou um uniforme trazido da Itália.

Hoje Entre os sócios ou torcedores de ambos iremos encontrar simpatizantes, militantes dessas e de quaisquer outras posturas políticas. Infelizmente encontraremos também quem diga odiar política, mas isso é outra lamentável estória. E ser Corintiano ou Palmeirense nada tem a ver com suas convicções. No meu caso adoraria termos condições de transformar o Planalto numa imensa biblioteca e sou Palmeirense.

Não é possível afirmar que a opção de torcer ou pelo Corinthians ou pelo Palmeiras passe por algum critério político. Os fatos são válidos para estudarmos os conceitos políticos e não para discutir as paixões futebolísticas.

 

Neco, primeiro ídolo corintiano. Primeiro jogador do clube a ser convocado para a seleção brasileira. Primeiro atleta a ter um busto exposto na sede do clube. Além de jogar era apaixonado pelo Corinthians. Correu em campo de cinta em punho para “educar para a honestidade” dirigentes do clube adversário.

Heitor, primeiro ídolo, primeiro jogador a ser convocado para a seleção. Primeiro atleta a marcar no estádio Parque Antárctica (sede oficial) Maior artilheiro de todos os tempos. Sua marca de 327 gols é seguramente imbatível. Outra façanha que nunca será superada e o fato desse atleta Sr. Heitor Marcelino ter sido titular e também campeão pelo Palestra no time de Basquete

 

Esquina das ruas, Cônego Martins e José Paulino, bairro Bom Retiro São Paulo SP Local exceto da fundação, em 1910 do Sport Club Corinthians Paulista.

 

Parque Antárctica, 1921, primeira sede da Societá Esportiva Palestra Itália. Terreno cedido pela família Matarazzo e dependências construídas pela Cervejaria Antárctica.

 

 

 

 

 

Cako Machini
Cako Machini
Desde 1953 também responsável pelo mundo que vivemos. Publicitário, marqueteiro, empresário. Criativo, amante das artes. Resolvido a viver o Outono de sua Vida junto a natureza, priorizando as palavras e as viagens.

1 Comment

  1. […]      Uso muito uma frase anarquista. Quando a razão enfrenta a força, a força sempre vence. Contra a força, somente a razão não […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *