Salvador, outra ótica, outros passeios

Só ações cidadãs poderão mudar o país. – Betinho.
11 de abril de 2016
Tapiraí
30 de junho de 2016

Salvador, outra ótica, outros passeios

Salvador campo Grande         Você vai novamente ou nunca foi a Salvador. Irá na praia, vai passear no Pelourinho, visitará as igrejas.

Onde se hospedar?

A ideia não é falar sobre hotéis, mas recomendar uma determinada região.  Entendemos que gente madura quer escolher em cada cidade que visita uma localização de hospedagem que melhor atenda suas expectativas. O que se quer é estar num local onde se possa fazer uma imersão no povo e nas coisas do local que se visita.

No caso de Salvador indico a região central, a região do (bairro) Campo Grande.

                   Na região você encontra opções de hospedagem num                                                                                           espectro amplo de preços e qualidade.

O Largo do Campo Grande, uma praça muito bem ajardinada cercada por um gradil desenhado por Carybé (veja matéria sobre esse incrível artista plástico baiano). Explicando: No lugar de uma grade feita com ferros geométrica e simetricamente distribuídos, foram feitas contornos de  folhas, pássaros, animais e elementos desenhados por Carybé. Uma expressão artística incomum e muito interessante.

Salvador 3Nessa mesma região é possível visitar várias outras obras do artista. Teatro Castro Alves, Hotel da Bahia, edifício Campo Grande.

Salvador 4

Painel Dois Índios instalado no Edifício Residencial Campo Grande.

Salvador 5   Salvador 6

Gradis do entorno do Largo do Campo Grande. Uma forma incomum de expressão artística realizada por Carybé.

Numa das esquinas do Largo do Campo Grande temos o atual Sheraton. Com a denominação de Hotel da Bahia foi durante décadas o mais importante hotel da Bahia. Esse é um estabelecimento que sempre foi afamado pela quantidade de intervenções artísticas contidas em seu interior.

Salvador 7

Campo Grande abriga o complexo cultural do Teatro Castro Alves, maior e mais emblemática casa de espetáculos da Bahia. Além do teatro tradicional, temos uma Concha Acústica em área externa com capacidade para 5000 espectadores.

Não há imersão na cidade visitada sem passeios que possam ser feitos a pé. Sugiro dois passeios a pé para se integrar na cidade. O ponto de partida fica sendo o Largo do Campo Grande.

Outra ótica sobre Salvador

Roteiro 1

Seguindo pela Av. Sete de Setembro em direção ao largo da Piedade (pergunte a qualquer um qual a direção) você estará conhecendo a região no sentido inverso do ciclo histórico.                                       Você encontrará:

Forte de São Pedro, edificação original 1627.

Palácio da Aclamação, edificação que serviu como residência dos governadores da Bahia por mais de meio século.

Salvador 8 – Passeio Público, local criado no princípio do século XIX para ser uma charmosa região de lazer da aristocracia e cenário de festividades populares.

Salvador 9    Salvador 10

Salvador 11

Ainda existem no local belíssimas arvores centenárias que formavam seu ajardinamento original.                                     O Passeio Público foi durante o Brasil Colônia por muito tempo o mais charmoso ponto da nossa primeira capital. Foi um logradouro criado com a sofisticação de ajardinamento feito com espécies trazidas de várias partes do mundo e adornos e acabamentos trazidos da Europa.

 

 Meu Anjo de Guarda noturno                                                                                                                        você é quem sabe de tudo                                                                                                                                  e quando eu peço proteção                                                                                                                                  não é pra fugir do ladrão                                                                                                                                nem pra me esconder na igreja                                                                                                                             Eu quero é que deus nos proteja,                                                                                                                   das dores do coração.

Em Salvador o sol nasce e faz seu poente sobre o mar. Pelo fato da cidade estar inserido no Recôncavo Baiano, fica criada essa ilusão. A falha geológica que criou a depressão que criando dois planos deu origem a Cidade Baixa e Cidade Alta, deu a Salvador uma das melhores condições do mundo para se assistir ao poente. O Passeio Público é um dos locais onde essa coisa linda que é o sol se por sobre o mar pode ser visto com em ótimas condições. E a mística pelo cenário secular fica reforçada. Lembrei e cantei Maria Cadú.

https://www.youtube.com/watch?v=GmsX4dJ8Xb0

É poético é lindo, não perca.

Salvador 12

 Meu Anjo de Luz que ilumina, compositor da minha sina,      não deixe que espinhos me ceguem,                                            guarde meus caminhos que seguem                                             os caminhos dessa menina.

Meu Anjo de Luz guardião, condutor da minha emoção,  ensine o atalho pra ela e                                                       evoque o anjo dela no toque sutil da canção.

 

– Incrustado no Passeio Público temos o Teatro Vila Velha, casa com vários espaços cênicos.

Largo dos Aflitos. Na verdade existe um “bairro” dos Aflitos. O nome vem da edificação da Igreja N. S. dos Aflitos, erguida durante o século XVIII. A ocupação da região começou bem antes com a construção da Oficina da Pólvora.

Essa edificação militar (1639) fabricava pólvora e munições e era chamada também de Trem militar por sua utilização como fornecedora de material militar para todas as outras fortificações.

Salvador 13

Continue descendo, pela Ladeira do Gabriel e acesse a Av. Lafayette Coutinho, você estava descendo em direção ao mar e bem a sua frente fica a entrada do Museu de Arte Moderna da Bahia.

         Que fique bem claro que narramos experiências vivenciadas  por nós.                                                       Afirmo que não encontrei nesse percurso nenhuma situação que pudesse                                                             sugerir que nossa segurança estava ameaçada.                                                                                              Nem pedintes, nem pivetes, nem malandros. OK?

Salvador 15

– O Solar do Unhão é um expressivo conjunto arquitetônico integrado pelo Solar, pela Capela de N. S. da Conceição, e edificações secundárias originalmente ocupadas como senzala e alambique. Na área externa temos um cais primitivo, um aqueduto, chafariz e jardins.

O local recebeu as primeiras edificações em 1584. No século XVIII atingiu seu auge sendo residência da família de José Pires de Carvalho e Albuquerque que enobreceu a propriedade instalando painéis de azulejos portugueses, realizando o ajardinamento, construindo o chafariz e levantando a capela.

A propriedade esteve praticamente abandonada, foi tombada pelo Patrimônio Histórico e na década de 60, num projeto de Lina Bo Bardi, além de preservadas suas características originais foi adaptado para funcionar como sede do Museu de Arte Moderna da Bahia.

Salvador 14

Sua área externa ganhou um Jardim de esculturas com obras de diversos artistas. Carybé assina o gradil que circunda a propriedade, um painel de concreto retratando tipos populares e um portão monumental que na verdade é uma escultura que homenageia o sol e trás múltiplas representações do acarajé.

 

Salvador 20      Salvador 19

A senzala do Solar está transformada num restaurante especializado (claro) em culinária baiana.

Importante: O solar abre somente a partir das 13 horas.

Salvador 16

            Novamente falando sobre a “atmosfera” dos lugares, digo que percorrer o Solar do Unhão nos remete ao máximo da opulência da aristocracia endinheira da Bahia. Uma casa gigantesca, construída praticamente no mar com um acabamento mais do que requintado.

 

 

Salvador 21Saindo do Solar, continuando a descida da Av. Lafayette Coutinho você passará pela  entrada de várias e charmosas marinas, do restaurante (famoso) Amado e terá a sua esquerda o mar da Baia de Todos os Santos  e a direita construções de gente muito simples que mora em seculares casas cravadas na encosta o morro e todas voltadas de frente para o Mar.

É um contraste monstruoso sair do Solar do Unhão, uma (ontem) residência gigantesca e ver centenas de casinhas simples e minúsculas agarradas no morro.

           Vale a pena a reflexão mesmo num gritante contraste são todos                                          ” imóveis com vista para o mar”.

Nesse caminho, 600 m a frente você estará contornando aquela coisa estranhíssima chamada de Fonte da Rampa do Mercado. Que me desculpe o artista Mario Cravo Jr., mas a sua tentativa de fazer uma obra que demonstrasse a união entre a Bahia tradicional e a Bahia dos tempos modernos, não foi das mais felizes. Francamente até mesmo pelo seu agigantado tamanho nada tem a ver com nada. Na verdade se ela não existisse (minha opinião) além de não fazer falta agradaria muita gente.

Nesse ponto ou você cede a seus instintos consumistas mais uma vez e novamente entra no Mercado Modelo, vou toma um táxi e volta para o Largo do Campo Grande. Não vale a pena voltar caminhando novamente. Você só terá ladeiras pela frente. Melhor guardar energias para uma boa noitada.

_______________________________________________________________________

Roteiro 2

O corredor da Vitória

Esse é o nome dado para o trecho da Av. Sete de Setembro entre o largo do Campo Grande e o Largo da Vitória.

Você estará caminhando por um lugar que hoje (2016) tem o m² mais caro de todo nordeste brasileiro. Mas isso é somente uma curiosidade, o local é charmosíssimo. Essa condição contrasta com a tradição de ser exatamente esse o palco da maior festa popular, o carnaval. O Corredor da Vitória é o trajeto dos Trios Elétricos do carnaval da Bahia.

Todas as edificações são suntuosas. São palacetes erguidos por prósperos negociantes, predominantemente europeus que incomodados pelo terreno super acidentado do centro da cidade, construíram, daquele (na época) subúrbio, mansões em padrões europeus, abusaram no Art-noveau e se destacaram do estilo Colonial Português predominante na velha Salvador.

Muitas árvores centenárias sombreiam toda avenida e suas ruelas transversais.Três dos seus casarões foram transformados em museus.

Museu de Arte da Bahia Salvador 22

Salvador 23

__________________________________

Museu Carlos Costa Pinto

O casarão que abriga esse museu apesar de projetado para ser a residência da família, nunca foi habitado.

Esse é um museu de coleção fechada. Não adquire nem aceita doação de nenhuma peça. Tudo que lá está exposto pertencia a abastada família Costa Pinto.

Salvador 24

Salvador 25

A Sra. Margarida Ballallai de Carvalho Costa Pinto transformou em acervo do museu todos os pertences de seu marido que tinha (com muito dinheiro sobrando, claro) mania de colecionar coisas.

No mais fiel retrato da opulência da aristocracia baiana, os pertences desse senhor (no total 3175 peças) originaram as seguintes coleções.

Cristais      Desenhos     Esculturas      Gravura      Imaginária         Mobiliário                           Ordens Honoríficas      Ourivesaria      Pintura       Porcelana      Prataria

Em muitos momentos ficamos sozinhos em ambientes com objetos de riqueza e valia impressionante. Particularmente reflito sobre como é possível haver ou ter havido pessoas com tanto dinheiro e somente com a preocupação de acumular.
Museu Geológico da Bahia

Não é exatamente uma temática pela qual eu vá me apaixonar. Uma visita a uma instituição dessas trás informações que você nunca procuraria espontaneamente.

Saiba mais             http://www.mgb.ba.gov.br/exposicoes/permanente/

Salvador 26   Salvador 27

Está exposta uma coleção de Granitos existentes na região da Bahia, a quantidde é impressionante. O solo da região do Recôncavo guarda grandes surpresas, como esse mastodonte que lá viveu em eras muito antigas.

Na região existe também a sofisticação moderna. Pelo menos dois de seus super edifícios tem mais de 40 andares e contam com teleféricos e piers exclusivos como acesso ao mar.

Edifício Moradas dos Cardeais

Salvador 28

Salvador 29

Desça a Ladeira da Barra e você estará na Igreja de Santo Antonio da Barra e ao lado do Forte de São Diogo.

Vale a pena comentar que esse ponto,  também é excelente para se curtir o por do Sol. Escolha um canto, pare num bar tome uma, ou duas ou três e sorria afinal…. Você está na Bahia!

Salvador 30 Salvador 31

Na sequência, você estará na praia do Porto da Barra que, lógico dá acesso a Praça do Farol da Barra.

E assim vocês poderão contar que conheceram coisas interessantes na Bahia, completamente destacadas da obviedade e que também contam com o tempero da terra.

O fundamento dessa matéria era contar a possibilidade de fazer dois ótimos e intensos passeios sem o uso de carro. Não somos atletas, fizemos esses roteiros de forma calma tranquila. Decidimos voltar dos roteiros usando táxi para evitar o gasto desnecessário de energia e tempo e assim dar mais qualidade as nossas noitadas .

 

 

2 Comments

  1. Waleska Viana disse:

    Matéria maravilhosa! Que riqueza! Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *