Darcy Ribeiro

//Darcy Ribeiro

Darcy Ribeiro

Darcy Ribeiro.  E é assim, ninguém nunca nasceu sabendo tudo sobre tudo. Ninguém pode vivenciar todos os momentos da história. Quando meu faro cisma com alguém, tenha certeza, existem coisas interessantes a serem aprendidas pesquisando sobre essa pessoa.

Considero esse posicionamento muito importante. Eu não sei tudo, e frequentemente tenho a tentação de pesquisar um pouco além da superficialidade sobre algumas coisas ou principalmente sobre algumas pessoas. E sempre me dei muito bem, é gratificante.  

É frequente eu ficar com vontade de falar, dar visibilidade a alguns brasileiros que são conhecidos, mas não são exatamente valorizados. As pessoas têm até respeito e  reverencia mas pouca coisa sabem a respeito desses importantes brasileiros.

Darci Ribeiro. As pessoas já ouviram falar dele, sabem que ele foi político, que foi perseguido e exilado pela ditadura. Muito podem saber que Darci Ribeiro chegou ao senado da república, que foi muito ligado a Leonel Brizola. Alguns reconhecem até que ele foi o pai dos CIEPs.

Antropólogo, educador, um homem do nosso tempo que se preocupou com o passado sendo um estudioso e defensor dos indígenas da nossa terra. E direcionou toda sua capacidade para o futuro se empenhando para racionalizar e revolucionar a educação.

Como toda pessoa brilhante, Darcy Ribeiro é atualíssimo. Morto em 1997, duas de suas maiores frases estão mais do que atualizadas com o Brasil de hoje e merecem nossa reflexão.

“A crise da educação no Brasil não é uma crise, é um projeto”.

Estamos vivendo os efeitos de um golpe (golpe de estado 2016) onde o objetivo maior é destruir as conquistas recentes e impedir o crescimento do Brasil enquanto nação.

“Se nossos governantes não fizerem escolas, em 20 anos faltará dinheiro para construírem presídios.”

A Universidade de Brasília foi descaracterizada pela ditadura militar. O projeto dos CIEPs de Darcy e Brizola, foi destruído por Moreira Franco. E hoje for desespero e despreparo, querem combater a violência com mais violência.                                                                                ____________________________________________________________

Outro grande brasileiro contemporâneo de Darci Ribeiro que deve ter seus pensamentos, sua visão de mundo, sua luta contra as injustiças, sempre lembradas é o enorme Cardeal Dom Helder Câmara. Fala sério, você conhece alguém de semblante mais doce?

Num momento em que se agravam as diferenças sociais e o problema da fome e da miséria parecer recrudescer, temos de lembrar e falar um pouco mais sobre Betinho, um brasileiro que foi muito mais do que irmão do Henfil.

Darci Ribeiro – Indianista.

Foi colaborador, admirador e amigo do Marechal Rondon. E nesse ponto quero lembrar que uma das máximas de vida repetida e praticada pelo Marechal Rondon, era: “Morrer, se preciso for. Matar nunca!”

Darci Ribeiro viveu alguns períodos junto a comunidades indígenas. Publicou trabalhos sobre as populações indígenas. No governo federal ocupou alguns cargos no serviço de proteção ao Índio.

Teve importante atuação na implantação do Parque Nacional do Xingu. Foi protagonista na criação do Museu do Índio, apontado pela UNESCO como uma iniciativa pioneira, singular e elogiável visto que objetivava quebrar o preconceito com relação ao índio e difundir sua cultura.

Darcy Ribeiro – Político

Foi filiado e militante do Partido Comunista Brasileiro. Trabalhou no governo de Juscelino Kubitschek, Foi chefe da Casa Civil e Ministro da Educação no governo de João Goulart. Como quase toda a intelectualidade atuante e combativa da época, foi cassado e exilado pela ditadura militar.

Na redemocratização, sendo Vice Governador no mandato de Leonel Brizola, teve uma atuação completamente oposta a de qualquer outro vice. Participou de forma ativa da administração e gestou o meritório, avançado e lúcido projeto dos CIEPs. Escolas em tempo integral pensadas muito além do currículo convencional, voltadas para a difusão da Cultura e desenvolvimento das pessoas.

Darcy Ribeiro – Educador

Criador e reitor da Universidade de Brasília. Idealizador dos cursos de Pós graduação sobre Antropologia do Índio brasileiro no Museu do Índio. Criador dos CIEPs.

A Lista de feitos de Darcy Ribeiro pode ser longa e de relevância, porém o mais importante é a visão e o conceito dele sobre a educação. Darcy defendia a educação como forma democrática de evolução da sociedade e das pessoas.

Entendo o projeto de Darcy Ribeiro como uma forma de substituir a clássica forma geométrica de um triângulo com um mestre no ângulo superior, por um trapézio que comportava no topo um coletivo.

Darcy Ribeiro – Revolucionário

Darcy era um revolucionário em essência. Ele pensava de maneira revolucionária. Todas as suas empreitadas continham o tom da renovação, da evolução. Tudo era singular, do ponto de vista “diferente” do usual. Mas esse diferente não era simplesmente desigual. Era um conjunto de inovações que buscavam posturas mais humanizadas, mais igualitárias, mais democráticas.

Seus revolucionários conceitos sobre educação foram bases que promoveram revoluções educacionais no Uruguai, Chile, Peru, México, Venezuela.

Na criação da Universidade de Brasília substituição as cátedras por departamentos.

Avança e subverte mis ainda as estruturas organizacionais quando, na montagem da UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense), estabelecendo laboratórios temáticos e multidisciplinares como célula da vida acadêmica.

Darcy Ribeiro – Humano

Sem sisudez é possível registrar um Darcy Ribeiro coerentemente, revolucionário e inovador, além de arrojado nas questões mais cotidianas. Comentando sobre os relacionamentos humanos expressou seu pensamento sobre o casamento. Essa declaração foi registrada tendo ele mais de 50 anos.

” É indispensável namorar no mínimo, três mulheres por vez. Pelo seguinte: primeiro, se você tem uma namorada ela já quer casar. E digo a elas: Menina só posso fazer de você uma viúva. Deixa de besteira! Algumas não querem casar, por causa do senso que é preciso ficar com o homem. Eu acho que depois de 10 anos, o casamento fica meio incestuoso. A mulher, você gosta dela, tem carinho, mas para o amor, a outra é melhor, eu acho no meu fraco modo de entender. Casei Algumas vezes mas aprendi que é importante ter três. Não só pela variação que é interessante, mas porque você fica mais carinhoso, você ama a variação e não há o perigo de casar.

Darcy Ribeiro – Pensamentos, seu legado

Sobre a formação dos povos da America do Sul, Darcy propõe a seguinte classificação:

É possível classificar as nações sul-americanas, segundo sua formação, nos seguintes grupos.

Novos Povos – Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Venezuela. São nações surgidas da fusão de diversas culturas.

Povos Testemunha – Peru, México, Guatemala, Bolívia. São verdadeiros restos de civilizações antigas.

Povos Transplantados – Eram novos povos transmutados devido a maciça imigração européia.

Sob si próprio

“Sou um homem de causas. Vivi pregando, lutando como um cruzado pelas causas que comovem. Elas são muitas: A salvação dos índios. A escolarização das crianças. A reforma agrária, O Socialismo em liberdade, A universidade necessária. Na verdade somei mais fracassos do que vitórias. Isso não importa, horrível teria sido ter ficado ao lado nos que nos venceram nessas batalhas”.

Sob a brasilidade

 “Todos nós, brasileiros, somos carne da carne daqueles pretos e índios supliciados. Todos nós brasileiros somos, por igual, a mão possessa que os supliciou. A doçura mais terna e a crueldade mais atroz aqui se conjugaram para fazer de nós a gente sentida e sofrida que somos e a gente insensível e brutal, que também somos. Descendentes de escravos e de senhores de escravos seremos sempre servos da malignidade destilada e instalada em nós, tanto pelo sentimento da dor intencionalmente produzida para doer mais, quanto pelo exercício da brutalidade sobre homens, sobre mulheres, sobre crianças convertidas em pasto de nossa fúria.

“A mais terrível de nossas heranças é esta de levar sempre conosco a cicatriz de torturador impressa na alma e pronta a explodir na brutalidade racista e classista.”

“O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso.”

“Nós temos uma das elites das mais opulentas, anti-sociais conservadoras do mundo”

“Num turno a Escola educa, noutro a Televisão deseduca. Assim não há como progredir”.

“As elites são tão cruéis. Eles esmagam as massas deixando-as na ignorância, na escuridão. As escolas não cumprem seu dever de educar. Só acabaremos com a violência, quando resolvermos a questão da educação”.

“A crise da educação no Brasil não é uma crise, é um projeto”.

Sob sua vida

Fracassei em tudo o que tentei na vida.

Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. 

Tentei salvar os índios, não consegui. 

Tentei fazer uma universidade séria e fracassei. 

Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. 

Mas os fracassos são minhas vitórias. 
Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.

Coragem! Mais vale errar, se arrebentando, do que poupar-se para nada.

Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca.

Sob o futuro

Se nossos governantes não fizerem escolas, em 20 anos faltará dinheiro para construírem presídios.”

2018-12-09T16:46:47+00:00

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário